quarta-feira, 13 de maio de 2009

Vídeo promocional da Gawker Media é pra meter medo em jornalistas e publicitários que ignorarem a Internet


Nos dias atuais, dizer que Internet não é o futuro de tudo tem o mesmo impacto da frase do capitão do Titanic quando disse a um repórter que aquele navio nem Deus afundava. Vou explicar minha analogia:

A Gawker Media, detentora de blogs que deixam muitos portais de veículos tradicionais comendo poeira no que diz respeito à audiência e inovação como o Gizmodo, iO9, Lifehacker, Deadspin, Kotaku, etc, lançou um vídeo promocional para mostrar a que vieram que que o veículos de mídias tradicionais (minha opinião) estão com os dias contados para que tenham que dividir a verba do anunciante com a novas mídias e alguns fadados à falência.

O Vídeo é agressivo e por isso está causando polêmica, já que bota lenha na velha discussão da velha contra nova mídia. Os caras pegaram trechos de programas da tradicional TV em que o conteúdo da Gawker é citado, além de cenas clássicas como um jornalista americano de uma grande rede (FOX) dizendo que "blogs são mentirosos", "jornalismo desonesto" (essa é boa), entre outras críticas e juntaram com depoimentos de leitores.

O vídeo promocional resume as ofertas da empresa e, de forma verdadeira, alegremente destaca (enquanto insulta, é claro) seus caluniadores, no caso as mídias tradicionais. Assim como muitos, já leio os blogs da Gawker há muito tempo e amo cada palavra que leio por lá.

Enquanto o micro-blogging (Twitter), as redes sociais (Facebook) e mídias sociais (pense bem, todo o resto) ganham todo o hype do momento, os blogs continuam obstinados, comandando com navalha afiada na língua, cobrindo assuntos de áreas específicas como nenhuma outra mídia o faz e eles fazem isso mais rápido e muito mais barato, fato!

Essa revolução já chegou à propaganda e em alguns países mais desenvolvidos que o Brasil o investimento em Internet já passou Rádio, Jornal e a própria TV e logo vai chegar ao jornalismo. Tudo bem, aqui no Brasil as coisas demoram mais, em Belém onde a cabeça é menor, demora mais ainda, mas, de 20 em 20 anos o anunciante é obrigado a acordar e dar um salto. Espero fazer parte dessa revolução, assim como já fiz parte de muitas outras.

A parte mais legal é o final, quando o velho jornalista da FOX adimite: "Talvez seja por isso que eu esteja tão bravo, porque este cara (blogueiro), gostemos ou não é o futuro!"

ps: Não achei com legendas em português, de qualquer forma você tem obrigação de saber Inglês.

5 comentários:

Bruno Biondo disse...

Excelente blog. Comecei o meu a pouco tempo (falando de tudo um pouco, mas mais de publicidade, só pra divertir e ficar atualizado msm) e estou tentando pegar algumas referências, então estou rodando por muitos blogs (principalmente de publicidade). Já favoritei o seu lá no meu e espero que tu faça muito sucesso. Abraços t+
P.s: Dp se puder passar no meu para dar uma crítica ou sugestão será muito bem vindo. www.brunobiondo.blogspot.com

Malicia de toda a mulher disse...

Espaços como este, que você mantém, corroboram o poder das midias sociais.

É isso aí.

(Agora dá pra parar de ser jornalista? És publicitário porraaaaaaa)

Parabéns!!!

Sabrina disse...

É Sid, desde que as ferramentas de produção de conteúdo saíram das mãos dos grandes produtores ... temos o nascimento de um cultura cada vez mais de nicho.

Vc pode ler um pouco mais sobre isso no livro A cauda é Longa !
Beijo, beijo, beijo.

Suzana Magalhães disse...

Concordo com a SAbrina. O livro "A cauda Longa" é muiiiito bom pra quem quer entrar e entender esse mundo segmentado :)


Égua, tu sacas mesmo de filme trash aeuheuhe :D eu só sei desse do Robert Rodrigez =x

Sidney Barra disse...

Outro livro muito bom para ilustrar esse tema é "Mundo É Plano" do jornalista Thomas L. Friedman.