quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Filosofando

Eu sou apaixonado por ficção científica, futuro e tecnologia, leio muito a respeito e de vez em quando a visão otimista dá lugar à paraóia. Escrevi esse texto em 2006 depois de ler Admirável mundo novo de Aldous Huxley.

Bravo mundo novo: Admirável ou Pesadelo Coletivo.


Todos sabemos que o futuro chegou. Mas será que estamos preparados pra viver neste admirável mundo novo? Este futuro assustador pré-anunciado já está incorporado ao nosso presente, futuro onde as pessoas são pré-condicionadas biologicamente, mas será que serão condicionadas psicologicamente a viverem em harmonia com as leis e regras sociais, dentro de uma sociedade?

A concretização das profecias que pareciam distantes acontece diariamente em nossa casa, escola, na vizinhança e toma força em alguns campos distintos, os desenvolvimentos da informática, da biotecnologia e da nanotecnologia possibilitam explorar ao máximo, lugares onde nunca pisamos.

A revolução tecnológica e o progresso científico através da informática com a internet, alteraram profundamente o sistema de comunicações no planeta e na própria genética, a vida tornou-se matéria-prima geradora de riqueza. Exemplos claros são as experiências bem-sucedidas experiências de clonagem de animais e o isto é possível com seres humanos. Para a ciência não existem limites morais ou éticos e a vida não é mais sagrada. Nada se pode parar a busca incessante pela perfeição, pela abundância, pela a juventude e finalmente a eternidade.

O extraordinário desenvolvimento da capacidade de produção com o aperfeiçoamento da comunicação e a grande capacidade de processamento e armazenamento de dados gera opressão e inquietude no homem diante destes recursos, uma tecnologia capaz de gerar realidades e personagens virtuais e desenvolver ao extremo as potencialidades humanas imprimindo um caráter artificial à vida coletiva. A alienação é presença comum na rotina massacrante dos trabalhadores em todos os setores da indústria.

A aldeia global em que Vivemos na atual era da informática e da robótica sucateou nosso antigo mundo. Com os avanços da internet e das comunicações, contraditoriamente, não conseguimos dialogar com as pessoas com quem vivemos. O homem torna-se cada vez mais solitário. As novas tecnologias diminuíram as distâncias, porém, não superaram as diferenças sociais gritantes, o preconceito, os conflitos étnicos, as lutas e classe e luta por poder.

O progresso da ciência e as conquistas da humanidade nos encantam e estamos prestes a esquecer os limites da dimensão humana, passando por cima de questionamentos éticos, morais e existenciais que nos acompanham desde o início e que jamais poderíamos esquecer como: Existe um limite para o a ciência? Se existe qual é este limite? Quem vai impor esses limites? O que é cientificamente possível é eticamente viável? Para onde está caminhando a humanidade? Se for pra destruição o que podemos esperar? Se ela pode ser evitada como isso será possível? Até quando o homem será senhor de si mesmo?

Nenhum comentário: